ÁGUA CLARA CORRE RISCO DE EPIDEMIA DE DENGUE

A Secretaria Municipal de Saúde emite alerta para toda a população de Água Clara sobre o grave risco de epidemia de dengue no município, devido ao alto índice de infestação do mosquito transmissor da dengue, Aedes Aegypti, que também transmite Zica Vírus e Chikungunya.

O alerta foi feito após os agentes percorrem bairros da cidade, vistoriando domicílios nos 351 quarteirões existentes e da realização do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) que indicaram números preocupantes de infestação predial 6,9% e índice de vetor que atingiu 8,7%.

O Secretário Municipal de Saúde, Alfredo Alexandrino, reuniu equipe de agentes comunitárias de saúde, agentes do setor de endemias e profissionais da Saúde para propor uma Ação Rápida no intuito de diminuir esses índices e consequentemente que novos casos da dengue sejam confirmados.

 A medida tem como objetivo orientar e mobilizar a população sobre os cuidados com a doença e evitar a proliferação do mosquito. Essa Ação será desenvolvida em parceria com a Secretaria de Infraestrutura e Educação.

“Só o trabalho da equipe da Saúde não é suficiente para evitar a epidemia de dengue”, alertou Alfredo Alexandrino. “É necessário a colaboração de cada morador cuidando do seu quintal, conversando com seus vizinhos e protegendo sua família”.

Já o disse o coordenador de Endemias Epidemiológicas de Vetores, Miguel Prudêncio, disse que a população precisa colaborar com a limpeza dos quintais, poda de árvores, avisar a Infraestrutura para recolher os lixos, pois, esse trabalho só dará resultados com a ajuda de todos.

 Orientações:

Para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução. A regra básica é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente. Com a proliferação do mosquito é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore.

Siga as dicas:

– Não deixar a água se acumular em recipientes como, por exemplo, vasos, calhas, pneus, cacos de vidro, latas e etc. Manter fechadas as caixas d’água, poços e cisternas;  Não cultivar plantas em vasos com água. Usar terra ou areia nestes casos.  Tratar as piscinas com cloro e fazer a limpeza constante. O ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período.  Manter as calhas limpas e desentupidas.  Avisar um agente público de saúde do município caso exista alguma situação onde há o risco de proliferação da doença e a limpeza de quintais, e poda de árvores. Fonte Assessoria de Comunicação da Prefeitura/Diário Oficial.