Após refletir, Bolsonaro decidiu ‘respeitar’ Temer e manter nomeação de Marun, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Ônyx Lorenzoni, anunciou, na tarde desta quarta-feira (2), que o ex-ministro Carlos Marun (MDB), segue como conselheiro de Itaipu Binacional, nomeado pelo presidente Temer. Conforme Lorenzoni, a opção foi por respeitar a decisão do ex-presidente.

Mais cedo, por meio de nota ao TopMídiaNews, Marun já havia confirmado a notícia que ficaria no cargo, que lhe renderá salário de R$ 27 mil ao mês por uma reunião a cada dois meses.

Desde que foi nomeado por Temer, havia rumores de que Bolsonaro anularia a decisão de seu antecessor. Além disso, o vice-presidente da República, general Mourão, ”pediu a cabeça” de Marun.

”A escolha foi um ‘prêmio’ antiético. Pode não ser ilegal, mas não foi ética. Todo mundo sabe que o ex-presidente fez isso como prêmio”, criticou o militar.

No entanto, Ônyx levou a discussão para Bolsonaro nesta quarta-feira e ouviu que deveria manter Marun no Conselho.

Conforme o blog da jornalista Andrea Sadi, sobre as críticas de Mourão ao ato de Temer, chamando-o de “não ético”, Onyx Lorenzoni desconversou: “O presidente tomou a decisão.”