ARARAS HÍBRIDAS NASCEM EM TRÊS NINHOS NA CAPITAL

Todo campo-grandense ou turista que pela cidade passa já se acostumou com a presença das araras azuis, vermelhas e canindé em várias regiões, principalmente naquelas onde há árvores que elas usam como ninho. Mas em três regiões da Capital, a existência de araras híbridas chama atenção até dos acostumados com a ave.

Fotógrafo por hobby e voluntário do Instituto Arara Azul, Vinícius Santana, de 37 anos, monitora araras híbridas que vivem em Campo Grande. Elas são resultado de cruzamentos entre araras azuis, vermelha e canindé e nascem com uma diversidade de cores que impressiona.

Algumas tem penas alaranjadas, vermelhas, amarelas e azuis. Um dos ninhos está localizado no Jardim Aeroporto, na Capital. Registros feitos nesta segunda-feira (25) por Vinícius revelam a beleza dos pássaros.

Em outro ponto da cidade, no Centro, o ninho possui três filhotes híbridos. O terceiro ninho fica na região do Aeroporto Santa Maria, já na zona rural da Capital..

Apesar da beleza das aves, há preocupação de especialistas em relação ao futuro das espécies. Geralmente, o cruzamento que origina as híbridas ocorre por interferência do homem, quando as aves são mantidas em cativeiro. Em Campo Grande, levantamento do Instituto Arara Azul revela que existem pelo menos 8 araras híbridas.

Além de registrar as aves para acervo do Instituto Arara Azul, Vinícius criou, já 1 ano e meio, grupo no Facebook para reunir amantes das aves e compartilhas as fotos. “Essas araras híbridas são como as outras, mas elas são consideradas de grande porte e em Campo Grande existem esses três ninhos, elas chamam atenção de muita gente pelas cores diferentes”, conta Vinícius. Fonte Correio do Estado.