CHEVROLET EQUINOX SUBSTITUI CAPTIVA NO BRASIL NO SEGUNDO SEMESTRE

Apresentado no Salão de Los Angeles, em novembro passado, o SV médio Chevrolet Equinox está confirmado para o Brasil. Chega no segundo semestre deste ano para substituir o Captiva – que ainda está à venda no Brasil, na versão Ecotec 2.4 de 184 cv, por R$ 108.840.

O Chevrolet Equinox está em sua terceira geração nos Estados Unidos. Esta é um pouco menor que as anteriores, pois passou a usar a plataforma D2XX do novo Cruze.

As dimensões são semelhantes às do nosso Captiva: 4,65 metros de comprimento por 1,84 de largura e 1,66 de altura, contra 4,57 metros 1,85 e 1,70 do SUV ainda vendido por aqui, respectivamente.

Na distância entre-eixos, o novato tem 2,73 metros contra 2,71 do Captiva.

Com estas dimensões o Equinox cai como uma luva no segmento de Toyota RAV4, Hyundai New Tucson, Jeep Compass e Honda CR-V, ocupando o espaço entre o compacto Tracker e o Trailblazer.

Para ter espaço nesse mercado, o preço deverá ficar ao redor dos R$ 130 mil.

Nos EUA, o Equinox é oferecido com motores 1.5 turbo de 173 cv e 28 mkgf com câmbio automático de seis marchas e com o 2.0 turbo de 255 cv e câmbio automático de nove velocidades, compartilhado com o novo Traverse.

A princípio, o Brasil receberá a versão LTZ com o motor menor.

O Chevrolet Equinox será importado do México, onde o modelo começará a ser fabricado nos próximos meses para complementar a produção da unidade principal no Canadá.

Não é só a plataforma que vem do Cruze.

O Equinox, assim como o Cruze, segue o novo padrão visual da Chevrolet, com faróis estreitos e bem integrados à grade.

As lanternas traseiras, por sua vez, remetem ao Camaro. A relação entre SUV e sedã é mais visível no interior, onde mostradores, botões e materiais são os mesmos.

Entre os equipamentos, destaques para alertas de mudança de faixa e colisão dianteira e traseira, além da central multimídia MyLink, com tela de 8 polegadas, e conectividade Apple CarPlay e Android Auto.

Câmera de visão 360º, frenagem autônoma e sistema OnStar.

A opção mais cotada para vir inicialmente para o Brasil, com motor 1.5 turbo, pode parecer subdimensionada para um SUV de 1,5 tonelada.

Mas as primeiras avaliações das publicações americanas dizem que o torque de 28 mkgf disponíveis a 2.000 rpm é suficiente para o porte do carro. Fonte Correio do Estado.