COLHEITA DA CANA EM MS COMEÇA NA PRÓXIMA SEXTA

Agronegócio

Colheita da cana começa no dia 24 de abril - Foto: Anderson Viegas
Colheita da cana começa no dia 24 de abril – Foto: Anderson Viegas

Mato Grosso do Sul abre oficialmente no próximo dia 24 de abril a colheita da safra 2015/2016 de cana-de-açúcar. O evento será realizado na usina sucroenergética Angélica, do grupo Adecoagro, no município de Angélica, às 11 horas.

A solenidade deve contar com a presença do presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda, do diretor da Adecoagro, Marcelo Vieira, e do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

No dia 13 de abril a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou um relatório em que apontava os números finais da safra 2014/2015 de cana no estado e um outro documento em que apresentava uma estimativa para o novo ciclo.

De acordo com os números da Conab, o estado fechou a safra passada com uma produção de 42,969 milhões de toneladas, volume 3,6% superior as 41,496 milhões de toneladas do ciclo 2013/2014.

Segundo a Conab,houve aumento de produção em razão da ampliação de 2,1% na área cultivada, que subiu de 654,5 mil hectares para 668,3 mil hectares e de um incremento de 1,4% na produtividade, que passou de 63,401 toneladas por hectare para 64,300 toneladas por hectare.

De acordo com a companhia, no ciclo 2013/2014, 72,68% da cana produzida em Mato Grosso do Sul foi processada para a fabricação de etanol, contra 27,31% para o açúcar, enquanto que na safra 2014/2015, 74,72% foi destinada a produção do biocombustível e 25,27% a do alimento.

Com menor quantidade de matéria-prima, a produção de açúcar retrocedeu 2,21% no estado na temporada recém-concluída frente a anterior, caindo de 1,367 milhão de toneladas para 1,337 milhão de toneladas.

Na contramão, o processamento de etanol foi ampliado em 8,71%, o que representa 194,538 milhões de litros a mais, o equivalente a produção de uma usina de grande porte no estado. A fabricação do biocombustível passou, na comparação dos dois ciclos, de 2,232 bilhões de litros para 2,427 bilhões de litros.

Desse processamento, 74,36%, 1,804 bilhão de litros, foi de etanol hidratado, que é o combustível vendido diretamente nos postos para o abastecimento dos veículos flex e dos 100% dedicados, enquanto que outros 25,63%, 622,125 milhões de litros, foi do tipo anidro, que é misturado na proporção de 27,5% a gasolina.

Novo ciclo

Já na primeira estimativa para o ciclo 2015/2016, a companhia estima que o estado aumentará em 5,6% sua produção de cana, atingindo as 45,374 milhões de toneladas e deverá ampliar no mesmo percentual o processamento de açúcar, que pode chegar a 1,412 milhão de toneladas, e de etanol, que pode atingir os 2,562 bilhões de litros. Fonte: Dourados News.