CUSTO DE “RETRABALHO” SERÁ CONTABILIZADO PARA OBRA DO AQUÁRIO SER RETOMADA

Reunião entre direção da empreiteira Egelte e da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) sobre o Aquário do Pantanal durou pouco mais de 2 horas, no fim da manhã desta terça-feira (1º). Como resultado do encontro, levantamento será feito em 10 dias para contabilizar o quanto vai custar a retomada da obra.

Vencedora da licitação, a empresa Egelte, que sublocou os trabalhos para a Proteco Construções, se recusa a retomar a obra porque ainda não se sabe quanto custará o “retrabalho”, as reformar que deverão ser feitas por conta do desgaste da obra inacabada.

Equipe da Agesul e da Egelte serão responsáveis por fazer o levantamento e em 10 dias, nova reunião será feita para que o valor será apresentado e, a partir daí, a Egelte retome a obra.

Em razão da obra fazer parte de processo judicial, a Justiça será informada sobre o acordo entre a empresa e o Governo.

A obra do Aquário do Pantanal já ultrapassou os R$ 200 milhões, metade desse valor foi destinado para as empreiteiras Egelte e Proteco. A obra segue suspensa desde o ano passado. Fonte Correio do Estado.