DE 12 POLICIAIS PRESOS EM 2011, TRÊS JÁ FORAM EXECUTADOS

Os dois PMs executados na sexta-feira (1º) em Mundo Novo, a 462 quilômetros de Campo Grande, eram processados por envolvimento com o contrabando de cigarros, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Desde 2011, dos 12 policiais da região vizinha ao Paraná, e ao Paraguai, presos, três foram executados.

O último andamento da ação, que corre contra o grupo e mais cinco pessoas, foi a manifestação de um dos réus, neste ano. A ação ainda aguarda julgamento. A denúncia foi feita em 2012 e, em 2013, os envolvidos tentaram desqualificar a denúncia do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), alegando que era vaga, mas a justiça manteve o processo.

Valdomiro e outro preso, Luiz Carlos Pupo de Lima, ainda entraram com pedido de habeas corpus por insanidade mental, recusado pelo juiz. Valdomiro alegou sofrer de transtorno depressivo e transtorno de pânico.

Elio Almeida Sousa e Valdomiro Ribeiro de Souza, os dois PMS executados nesta sexta-feira, foram presos em outubro de 2011 por formação de quadrilha, prática do delito previsto no art. 288, do Código Penal.

A Operação Fumus Malus (Fumaça do Mal) envolveu a região sul do Estado e cumpriu 11 mandados de prisão preventiva, 13 mandados de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão nos município de Naviraí, Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Mundo Novo, Amambai, Sete Quedas, Bataiporã e Campo Grande. O objetivo foi desarticular quadrilhas compostas por civis e policiais militares envolvidos com o contrabando de cigarro.

Além dos dois mortos ontem, entre os presos estava Carlos José Silveira de Souza, executado a tiros em dezembro de 2012, enquanto abastecia o carro em um posto de combustíveis da BR-163 em Campo Grande. Quando foi preso, ele era subcomandante da unidade da PM em Naviraí. O delegado responsável, na época, Devair Aparecido Francisco, levantou queima de arquivo como linha de investigação,  uma vez que a execução ocorreu em apenas seis segundos, e o subtenente da Polícia Militar de Naviraí foi atingido por 19 disparos, sendo encontradas nove cápsulas de 9mm ao lado do corpo.

O crime

A dupla Elio Almeida Sousa e Valdomiro Ribeiro de Souza estava em um Vectra branco e seguia sentido Naviraí quando no cruzamento entre a BR-163 (que corta a cidade) e a Avenida Campo Grande foram abordados pelos autores e executados com vários tiros de pistola .40.

Os suspeitos estavam em uma motocicleta e efetuaram mais de 13 disparados contra o veículo. Os policiais da reserva, segundo foi apurado nesta sexta, estariam com R$ 5 mil cada. Fonte Midiamax.