ESTUPRADOR EM SÉRIE ESCOLHIA VÍTIMAS SOZINHAS EM PONTO DE ÔNIBUS NA CAPITAL

Rafael de Souza Leite, de 25 anos, foi preso, depois de cometer estupro contra uma mulher no Jardim Los Angeles, em Campo Grande. Ele foi identificado como suspeito de cometer ao menos 12 estupros, sendo que em 5 dos casos, ele foi reconhecido como autor. Rafael, que é soropositivo, escolhia vítimas mais vulneráveis, sendo os principais alvos mulheres sozinhas em ponto de ônibus.

Conforme a plantonista da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Maíra Pacheco Machado, o rapaz estava sendo investigado pelos crimes desde 2015.

“Juntamos ocorrências desde 2015, onde as vítimas descreveram o modo de agir do criminoso e suas características. Na última segunda-feira (23) uma mulher foi estuprada enquanto esperava o ônibus do transporte coletivo e nos procurou. No local onde ocorreu o crime, juntamos indícios e conseguimos identificá-lo”, relatou a delegada.

Uma das investigadoras da unidade responsável pelo caso, Wanuza Macedo, pontuou que o suspeito usava facas, pedaço de vidro ou simulava estar armado para render as mulheres.

“Ele esperava o momento certo de agir e as principais vítimas eram jovens entre 18 e 25 anos sozinhas em ponto de ônibus. O Rafael esperava não ter movimento nas ruas e agia.” Por não ter residência fixa, houve dificuldade em conseguir localizá-lo.

Com passagens criminais por roubo e violência doméstica, Rafael era casado e estava separado da companheira desde novembro do ano passado. Um dos pontos principais, que chamou atenção nas investigações, foi o fato do suspeito perturbar a ex-mulher, forçando ela a mudar de endereço três vezes. Nos três endereços diferentes que a mulher morou, houve relatos de estupro nas proximidades.

“Ele perturbava a tranquilidade da ex, com quem tem um filho de 2 anos, e na região, como no Bairro Los Angeles, Ramez Tebet e Aero Rancho, tivemos casos de estupro com as mesma características do autor, onde se encaixa com a descrição do Rafael”, disse outra delegada da Deam, Priscilla Anuda.

Cinco mulheres já reconheceram o suspeito como autor do crime e as sete demais serão procuradas para fazer o reconhecimento. “Daí a importância da divulgação, pois ainda temos vítimas em que ele [Rafael] pode ser o responsável, além da possibilidade de haver outras mulheres que não procuraram a delegacia. Nós da Deam damos todo o suporte para essas mulheres e pedimos que nos procurem”, relatou Anuda.

Objetos roubados eram trocados por drogas. Rafael confessou apenas o crime praticado na última segunda-feira (23), que resultou na prisão do suspeito. Questionado sobre as outras quatro mulheres que o reconheceram, ele disse que não há provas que o incriminam e afirmou que não foi estupro e sim “um ato parcialmente concedido pela vítima”. Fonte Correio do Estado.