FESTIVAL DE CHAMAMÉ TERÁ CINCO DIAS RECHEADOS DE ATRAÇÕES

Começou ontem e vai até domingo, na Capital, o 2º Festival Cultural do Chamamé de Mato Grosso do Sul, que terá uma edição maior do que a primeira – vai durar cinco dias – e programação reunindo nomes importantes ligados ao chamamé da Argentina e do Paraguai, países convidados que enviarão músicos, dançarinos e estudiosos do estilo.

As atividades serão realizadas na Praça do Rádio Clube, no centro da Capital, com entrada gratuita. O Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo e a Ordem dos Advogados do Brasil/Seccional de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) também cedem espaços para o festival, que terá parte de sua programação transmitida pela TVE Cultura, pela Educativa 104.7 FM e pelo Portal da Educativa.

O evento é organizado pelo Instituto Cultural Chamamé MS, presidido pelo chamamezeiro e radialista Orivaldo Mengual, do programa “A Hora do Chamamé”, e que há mais de 20 anos luta pelo reconhecimento do chamamé como patrimônio cultural. “A realização desta segunda edição do festival tem um sabor especial, é um sonho realizado, depois de anos de batalha. Vamos fazer o maior festival que Campo Grande já viu, marcado pela diversidade”, explica.

Inicialmente, o festival teria suas atividades conduzidas no Parque das Nações Indígenas, porém, foi transferido para a Praça do Rádio, o que permitirá acesso mais fácil à população à programação do evento.

A abertura foi ontem – Dia Estadual do Chamamé – no auditório da OAB-MS (Avenida Mato Grosso, 4.682), a partir das 13h30min. A Embajada de Villa Guilhermina (da província de Santa Fé, na Argentina) participa da solenidade, que terá ainda a Pareja Campeona del Chamamé 2017 e Rosana Cortez y Sebastian Vera Coronel.

Durante o evento de abertura, foi apresentado o quadro argumental “Villa Guilhermina, historia, presente y futuro”, o livro “Ricardo Visconti Vallejos, la leyenda de A Villa Guillermina”, de Gustavo Toranzo, e apresentada a obra literária de Roberto Villalba, presidente do Centro Cultural Siete Corrientes, da Argentina.

Já a programação na Praça do Rádio começou às 16h, com uma feira gastronômica. Uma hora depois, acontece a abertura do evento com transmissão pelo programa “A Hora do Chamamé”. A TVE Cultura inicia as transmissões ao vivo a partir das 21h15min, depois do “Jornal da Cultura”.

Nesta quinta-feira (20), a programação será transmitida pela TV a partir das 17h, com apresentações da Villa Guillermina. Na sexta (21), às 8h30min, acontece no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo o Seminário Internacional do Chamamé.

No mesmo local, a partir das 17h, o programa “A Hora do Chamamé” abrirá a Noite de Gala, com lançamento do livro “Zé Corrêa, o Rei do Chamamé – Precursor do Chamamé MS”, de Márcio Guimarães Barbosa, bem como um tributo a Zé Corrêa. “Esta será uma noite muito especial, na qual o público estará na plateia apreciando várias apresentações, entre elas, a da Compañía Internacional de Danza Taborda (Assunção/Paraguay) e Julian Naessens y Virginia Ramirez, da Pareja Nacional del Chamamé – Corrientes/Argentina”, diz Mengual, frizando que o festival foi reconhecido pela província de Corrientes como de interesse cultural.

Durante o sábado (22), todas as atividades do Festival do Chamamé serão realizadas na Praça do Rádio, das 8h às 22h30min.

A Feira Gastronômica da Fronteira abre às 8h de domingo (23), o último dia do evento, que realiza, no mesmo horário, o Concurso de Dança coordenado pela Fundação do Esporte de Mato Grosso do Sul. Fonte Correio do Estado.