Gustavo Guiraldelli é afastado do cargo de Oficial de Justiça e responderá procedimento administrativo disciplinar

De acordo com a Portaria Nº 01/2019, de 21 de Janeiro de 2019, a doutora Camila de Melo Mattioli Gusmão Serra Figueiredo, Juíza de Direito da Vara Única da Comarca de Água Clara, afastou por 30 dias e determinou a abertura de procedimento administrativo disciplinar em relação ao Oficial de Justiça Gustavo Guiraldelli a fim de apurar eventual falta funcional. 
A Audiência para oitiva das testemunhas está marcada para dia 25 de Fevereiro, no Fórum de Água Clara. 
Na decisão a Juíza de Direito justifica que o Poder Judiciário possui um importante papel na repressão à utilização e comercialização de substâncias entorpecentes, e caso seja confirmada a conduta do servidor infrator de adquirir tais substâncias nas dependências do Fórum, certamente haveria uma violação aos princípios administrativos e éticos, pois o que se espera de um servidor do Poder Judiciário é justamente o respeito ao ordenamento jurídico. 
Entenda o caso
Gustavo Guiraldelli é Oficial de Justiça da Comarca de Água Clara e também vereador do município e está sendo investigado por ter supostamente pedido droga de dentro do Fórum de Água Clara. A investigação se iniciou após a Polícia Civil ter tido acesso a um áudio no celular do entregador, um mototaxista que foi preso em 20 de dezembro, durante operação de Natal na cidade.
Em maio de 2018, o parlamentar já havia sido denunciado na Câmara Municipal, por suspeitas de patrocinar festas regadas a bebidas e entorpecentes a menores. Ele, que também atuou como policial civil em 2004, nega as acusações.
O áudio com o pedido que seria atribuído a Guiraldelli, vazou nas redes sociais e aplicativos de mensagem. Na gravação, a voz atribuída ao vereador pede mais R$ 50,00 de cocaína, pois a pedra havia acabado de comprar teria se “esfarelado no bolso”, devido uma tempestade.
Em resposta, o mototaxista pede que ele espere até a chuva diminuir. Ainda, o entregador diz que avisou que isso aconteceria, mas que o comprador estaria “doidão”. O solicitante diz então para o suspeito, em aparente euforia: “Cola aqui no Fórum. Só estou eu aqui. Rapidão! Agora, agora, agora…(sic)”. (Com informações do PerfilNews)
Por fim, a juíza cita que a conduta de Gustavo foi veiculada por diversos canais de comunicação da cidade, o que causou grande indignação à comunidade local, de modo que a permanência do servidor no cumprimento de mandatos e diligências externas, por ora, devem ser evitadas, com o escopo de resguardar a imagem do Poder Judiciário e de todos os demais servidores que trabalham no Fórum.

Após as denuncias veiculadas nas redes sociais e na imprensa do Estado, o Vereador Gustavo Guiradelli utilizou-se dos mesmos meios de comunicação para se defender. Afirmou em vídeo que é inocente e que esta sendo perseguido por atuar de forma contundente na Câmara Municipal contra os desmandos da atual administração.

*Fonte Correio Regional News. Jornalista Ângela