INSTITUTO QUE ATUARÁ EM CARAVANA É ALVO DE DENÚNCIAS EM 4 ESTADOS

Caravana da Saúde

Carretas da Caravana da Saúde já chegaram e atendimentos começam no próximo domingo  (Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado)
Carretas da Caravana da Saúde já chegaram e atendimentos começam no próximo domingo
(Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado)

Alvo de denúncias por erro médico e superfaturamento nos Estados da Bahia, Acre, Pará e no Distrito Federal, o Instituto dos Olhos Fábio Vieira também vai prestar atendimento de consultas oftalmológicas e cirurgias de catarata na Caravana da Saúde de Mato Grosso do Sul, ao custo de R$ 18 milhões. Dos 12 veículos que farão parte do mutirão, quatro são do instituto contratado pelo governo do Estado.

A operação em conjunto com o instituto vai começar no próximo domingo, dia 29, em Coxim, e, além da cidade no Norte do Estado, atenderá Campo Grande e mais 9 microrregiões. Seu fim está previsto para janeiro de 2016 e o governo estadual cogita ampliação do serviço para os demais anos. 

As falhas registradas na prestação de serviço dos caminhões do instituto aconteceram de 2010 até o ano passado. Entre as ilegalidades denunciadas, estão: falta de critérios sanitários, como a realização simultânea de cirurgia nos dois olhos dos pacientes, e até casos em que pacientes perderam a visão após os procedimentos serem realizados. Superfaturamento dos contratos e nepotismo também envolve o nome do instituto.  No Distrito Federal, por exemplo, o funcionamento das carretas foi suspenso. Outro motivo que levou ao fim dos atendimentos foi o valor cobrado, que chegou aos R$ 28 milhões em um semestre. Todos os casos estão sob investigação. A ação dos caminhões nos outros estados é parecida com a proposta da caravana em Mato Grosso Sul. Anny Malagolini Correio do Estado.