MAIOR PARTE DA BANCADA DO ESTADO ESTÁ NO “MURO” EM RELAÇÃO A TEMER

A maior parte da bancada federal sul-mato-grossense não definiu publicamente o seu voto no processo (SIP 1/2017) que pode autorizar a investigação do presidente Michel Temer por corrupção passiva. A matéria deve começar a ser apreciada no plenário da Câmara dos Deputados na sexta-feira, após votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC).

Atualmente, quatro dos oito parlamentares afirmam que não têm o voto definido. Três – que fazem oposição ao governo no Congresso Nacional – são favoráveis à investigação e um defende abertamente o arquivamento do processo.

Os quatro parlamentares que não manifestaram seus votos apresentam motivos diversos para tal atitude. O deputado federal Mandetta (DEM) afirmou que “o partido fez um pedido para que os parlamentares da legenda não se manifestem, por causa da linha sucessória da presidência, que tem Rodrigo Maia, que é do DEM. Tenho minha opinião, mas vou seguir a recomendação do partido e só falar quando houver a votação”. Fonte Correio do Estado.