PALMEIRAS VENCE O COLO-COLO, MANTÉM 100% FORA E SAI NA FRENTE PELA SEMI DA LIBERTA

Verdão foi a Santiago e venceu o Colo-Colo no Estádio Monumental por 2 a 0, pela partida de ida das quartas de final da Copa Libertadores da América. Bruno Henrique abriu o marcador com dois minutos do primeiro tempo e Felipão brilhou na etapa final ao alterar taticamente sua equipe e ver Dudu fechar o marcador.

Antes que qualquer análise das duas equipes pudesse aparecer, o Palmeiras abriu o placar. Borja brigou na entrada da área, roubou a bola e tabelou com Dudu. O colombiano cruzou para dentro da área, Moisés dominou e rolou para Bruno Henrique finalizar para as redes. 

O começo eletrizante do Verdão foi fruto da postura da equipe de Luiz Felipe Scolari nos primeiros minutos de jogo. Quando abriu o placar, o Alviverde tinha cinco atletas dentro da área, além de Thiago Santos posicionado na meia-lua.

E à frente no marcador, a superioridade técnica palestrina prevaleceu até os 15 minutos. À vontade no jogo, o Maior Campeão do Brasil diminuiu o ritmo e trocou passes no meio-campo, à espera de uma brecha na defesa chilena.

O Colo-Colo, por sua vez, dependia da magia de Valdivia para chegar ao campo ofensivo. O camisa 10 teve ótima atuação, mas muito longe da área, não conseguia ser decisivo, já que precisava construir as jogadas dos mandantes a partir do segundo terço do campo.

Em meio a duas oportunidades perdidas por Dudu, as únicas chances reais de gol do Colo-Colo foram aos 25 minutos, em chute de Paredes, desviado por Antônio Carlos, e aos 42, quando Weverton salvou cruzamento direto para a área e Barrosos desperdiçou sem goleiro no rebote.

O principal ponto negativo do Palestra ficou por conta da marcação de meio-campo. Apesar de Bruno Henrique ser o melhor homem em campo, Thiago Santos, substituto de Felipe Melo no jogo, sofreu muito para marcar, levou duas canetas de Barrios, foi amarelado e não conseguiu roubar nenhuma bola. Para piorar, em um dos dribles sofridos, Bruno Henrique precisou fazer falta e também foi advertido com o cartão amarelo.

Na etapa final, o panorama da partida mudou. O Colo-Colo voltou melhor do intervalo e pressionou o Palestra pelo empate. O Verdão, apostando nos contra-golpes, teve boas oportunidades com Dudu, mas novamente o camisa 7 desperdiçou. Foi então que apareceu a genialidade de Luiz Felipe Scolari.

Primeiro, o treinador sacou Borja e colocou Jean em campo, tirando o Palmeiras do 4-3-3 para o 4-4-2, com o camisa 2 aberto pela direita, e Dudu e Willian na frente. A alteração não foi suficiente para conter o ímpeto dos chilenos e Felipão mudou de novo.

O técnico tirou o amarelado Thiago Santos e mandou a campo o paraguaio Gustavo Gómez. A partir desse momento, o Alviverde voltou a dominar o jogo. Pela primeira vez com três zagueiros desde que Felipão chegou ao clube, o Verdão teve Jean e Bruno Henrique como volantes e Dudu e Willian espetados na frente. Foram apenas quatro minutos de 5-3-2 até que o Maior Campeão do Brasil ampliasse sua vantagem.

Com 32 jogados, Willian puxou contra-ataque, invadiu a área, cortou para dentro e bateu no gol. Orión conseguiu grande defesa, a bola bateu na trave e sobrou nos pés de Dudu, que dominou e encheu o pé direito para estufar as redes. Fonte Correio do Estado.