Senadora eleita é chamada de tirana por derrubar presidente de partido

A insatisfação do presidente Jair Bolsonaro com a exclusão do seu amigo, deputado estadual eleito Coronel David, do Diretório Regional do PSL em Mato Grosso do Sul mostra o clima de guerra com senadora eleita Soraya Thronicke. Ela é acusada de criar crise no partido e constranger o presidente da República com suas “manobras escusas” para atropelar outras lideranças do PSL por conquista de espaço.

A conspiração atribuída à futura senadora derrubou o pecuarista Rodolfo Nogueira da presidência do partido. Ele é outro amigo do presidente da República e integrou a equipe de transição. “Ela é uma tirana”, criticou Coronel David, jogado de lado pela futura senadora. David defende Rodolfo e recusa eventual convite para integrar o diretório com Soraya no comando. O deputado federal eleito Luiz Ovando é outro que não aceita participar do diretório com Soraya na presidência.

A confusão teria começado durante a campanha no ano passado, quando a então candidata ao Senado ligou para o presidente nacional do PSL na época, Gustavo Bebianno, reclamando que os santinhos não estavam sendo impressos com seu nome e imagem.

* Fonte Correio do Estado.