Preço da gasolina fica 3% mais barato em Campo Grande

Preço médio da gasolina comercializada ao consumidor recuou em Campo Grande e alcançou R$ 4,083 na semana encerrada no último sábado (15), ficando 3,02% mais barata no intervalo de quatro semanas. De acordo com levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o combustível custava, em média, R$ 4,210 na semana de 18 a 24 de novembro.

O preço mínimo da gasolina apurado na Capital sul-mato-grossense se manteve pela segunda semana consecutiva abaixo dos R$ 4. Conforme as médias apuradas pela ANP, o menor valor cobrado pelo litro do combustível em Campo Grande ficou em R$ 3,999. O máximo ficou em R$ 4,349.

Além da gasolina, também registraram quedas de preço nas últimas quatro semanas o diesel (-4,09%) e o etanol (-1,25%). O valor médio do diesel recuou de R$ 3,618 para R$ 3,470; já o do derivado de cana saiu de R$ 3,286 para R$ 3,245.

Tendência de redução também foi observada para as médias praticadas no mercado estadual. Conforme a ANP, o preço médio da gasolina fechou em R$ 4,146 nesta última semana pesquisada, representando recuo de 2,74% em quatro semanas, quando custava R$ 4,263. O preço mínimo encontrado pela ANP no Estado ficou em R$ 3,890, enquanto o máximo alcançou R$ 4,710.

No caso do diesel, o decréscimo foi ainda maior (-3,98%) e o preço médio do combustível caiu de R$ 3,659 para R$ 3,513. O etanol, por sua vez, ficou 0,86%  mais barato: saiu de R$ 3,364 para R$ 3,335.

Reajuste

A pauta fiscal dos combustíveis foi reajustada neste domingo (16) em Mato Grosso do Sul. De acordo com ato da Comissão Técnica Permanente (Cotepe) do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), publicada no início deste mês no Diário Oficial da União, apenas dois produtos tiveram aumento no valor de referência a ser aplicado no mercado estadual: o gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha), passando de R$ 5,576 para R$ 5,6220 o metro cúbico (+0,80%); e o gás natural veicular (GNV), com majoração de 0,40%, saindo de R$ 2,7519 para R$ 2,7628 o metro cúbico.

Entre os produtos com queda projetada no valor de referência, o maior percentual (-3,65%) foi para a gasolina comum e a média de preço para o litro do combustível recuou de R$ 4,5197 para R$ 4,3549 no Estado. Ainda de acordo com a tabela do Confaz, o percentual de redução para gasolina aditivada ficou em -0,66%, de R$ 6,0355 para R$ 5,9955.

A alteração da pauta fiscal também deve refletir em quedas de preço o óleo diesel (-2,41%) — de R$ 3,7906 para R$ 3,6993 — e o diesel S-10, passando de R$ 3,8826 para R$ 3,8154 (decréscimo de -1,73%). No caso do etanol, o valor de referência para o litro do biocombustível foi de R$ 3,3812 para R$ 3,3570, redução de -0,72%.

Já para a querosene de aviação, o percentual de redução projetado é de 2,46% e o valor de referência do combustível caiu de R$ 3,5743 para R$ 3,4860. Fonte Correio do Estado.