PROPRIETÁRIA RURAL É MULTADA EM R$ 3,2 MILHÕES POR DEGRADAR NASCENTE DE RIO

Advogada de 64 anos foi multada, em R$ 3,2 milhões por degradação de solo em fazenda localizada às margens da BR-267, em Bonito (MS). Área degrada é nascente do Rio da Prata.

Equipe da Polícia Militar Ambiental (PMA) realizava fiscalização na região quando foi constatada, a princípio, a criação de gado dentro de área de Preservação Permanente (PP). Nas localidades, não havia cercas para proteger os córregos Sucuri e Barreiro e as áreas estavam sendo pisoteadas pelo gado e degrada, surgindo erosões às margens.

A falta de cuidados com o solo gerou erosões e assoreamento dos córregos, causou o aumento da turbidez da água do rio da Prata, incluindo que, ambos os cursos d’água são afluentes deste rio.

A infratora responderá por crime ambiental por destruir área de preservação permanente e poderá cumprir pena de um a três anos de prisão. Além disso, ela deverá apresentar um plano de recuperação da área degrada. Fonte Correio do Estado.