SAIBA AS DIFERENÇAS ENTRE POSTOS DE SAÚDE, UPAS E HOSPITAIS

Gripe, mal-estar, torções, fraturas ou acidentes. Quando acontece algum problema desses, muitas pessoas têm dúvida por qual serviço de saúde deve recorrer. A hesitação entre escolher um posto de saúde, uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) ou um hospital é comum entre os usuários e gestores do sistema de saúde e acaba, inclusive, provocando filas desnecessárias e ocupando profissionais que poderiam estar cuidando de outras enfermidades.

Quando chega uma ambulância com um acidentado no hospital, é necessário dar prioridade a esta emergência de alta complexidade. A maioria significativa das pessoas que chegam aos hospitais poderia ser tratada em um posto de saúde ou em uma UPA. Cerca de 90% das pessoas que estão na emergência do hospital não precisariam estar ali.

Os postos de saúde são a porta de entrada do SUS (Sistema Único de Saúde). São a eles que as pessoas devem se dirigir para consultas de rotina, acompanhamentos médicos, receitas e vacinas.

Nas UPAs, que  deveria funcionar 24 horas por dia, são realizados atendimentos de média a alta complexidade, como exames laboratoriais e infecções de urgência, eletrocardiograma, luxações e febres altas em períodos contínuos em horários e dias em que os postos de saúde não abrem. Na UPA, o paciente será estabilizado e, quando necessário, será encaminhado ao pronto-socorro do hospital. Orientação deve partir também do posto de saúde

Apesar de muitos confundirem os serviços de saúde na hora de procurar atendimento, nem sempre é a confusão ou a falta de informação que leva as pessoas aos hospitais antes mesmo de irem aos postos de saúde ou às UPAs. Muitos usuários, por exemplo, passa o dia todo à procura de um médico que a atenda, mas via de regra não encontra o médico no seu local de trabalho. Levando o paciente a procurar um hospital desnecessariamente.

Posto de saúde: É a unidade de atenção básica, a porta de entrada do SUS, onde são realizados exames, consultas e acompanhamento médico e aplicação de vacinas. Quando necessário, solicita a outros serviços de saúde o encaminhamento do paciente. Utilização: traumas leves, sintomas leves de gripe, tonturas, dor abdominal leve, mal-estar, conjuntivite, entre outros. Em Florianópolis, funcionam das 8h às 12h e das 13h às 17h.

UPA: É a unidade de urgência e emergência para serviços de média a alta complexidade, um meio-termo entre centro de saúde e hospitais, com mais recursos do que um posto de saúde. A gravidade do risco, e não a ordem de chegada, determina a rapidez com que o paciente será atendido. Deveria Funciona diariamente 24 horas, inclusive nos fins de semana. Não tem leito de internação e centro cirúrgico. Utilização: parada cardiorrespiratória, trauma craniano, choques, exames laboratoriais de urgência, dor torácica moderada, dor abdominal moderada, ferimentos com febres, entre outros.

Hospital: Unidade que deve atender casos de alta complexidade e emergência, encaminhados pelos postos de saúde, UPAs ou por ambulâncias, além de fazer atendimento clínico geral em diversas especialidades. Tem mais recursos tecnológicos de intervenção. Funciona diariamente 24 horas e nos fins de semana. Utilização: casos de risco à vida, acidentes graves de trânsito, envolvendo ortopedia, neurocirurgia, oftalmologia e AVC (acidente vascular cerebral), entre outros.