Vereadores são presos em ação do MPE e Polícia Civil na Câmara Municipal

Polícia Civil e Ministério Público Estadual (MPMS), através da 16ª Promotoria de Justiça de Dourados, deflagraram hoje a Operação Cifra Negra, para o cumprimento de dez mandados de prisão e um mandado de busca e apreeensão no município. Pelo menos três vereadores foram presos na ação.

De acordo com informações do site Dourados News, foram presos o presidente da Casa de Leis, Idenor Machado (PSDB) e os vereadores Cirilo Ramão (MDB) e Pedro Pepa (DEM). Ainda estariam detidos ex-vereador Dirceu Longhi e Hamilton Salinas. Eles foram encaminhados ao Ministério Público, onde prestarão depoimento.

De acordo com o MPMS, a operação foi originada como desdobramento de duas anteriores, sendo a Telhado de Vidro e Argonautas, e investiga os chamados crimes do colarinho branco, como fraude em licitação e corrupção passiva e ativa.

Ainda segundo o Ministério Público, há fortes indícios de que os crimes estariam ocorrendo na Câmara Municipal de Dourados há pelo menos oito anos.

Investigação apontou que, em diversos processos licitatórios, apresentavam-se como concorrentes sempre empresas “cartas marcadas”, que atuavam em conluio. Algumas delas existiam apenas no papel, com objetivo de simular concorrência nas licitações. Sem a devida concorrência, os valores dos contratos oriundos dos processos eram exorbitantes.

Ainda segundo apurado na investigação, as empresas repassavam propinas mensais a servidores públicos, entre eles os integrantes da Mesa Diretora da Câmara, para garantir que o esquema fraudulento continuasse.

Foram decretadas prisões preventivas e expedidos mandados de busca e apreensão em Dourados e Campo Grande, além de outras medidas investigativas. Não foram informados os nomes de todos os alvos da operação.